Eu hoje x Eu futuro: coaching para definir metas



metas coaching


O site Future Me (https://www.futureme.org/) permite ao usuário escrever cartas que serão enviadas de volta a ele mesmo por e-mail dali um ano, três anos, cinco anos ou uma data específica determinada por ele próprio. É emocionante ler os comentários de quem já utilizou o dispositivo. Há quem agradeça a ferramenta por permitir que a pessoa perceba sua evolução num determinado espaço de tempo: como eu era, como sou, como me aproximei de quem busco ser e quais as principais mudanças nas minhas percepções e opiniões. Há quem tenha gostado de poder promover o encontro de quem eu sou com quem eu um dia gostaria de ser.

A ferramenta também ganha elogios daqueles que dizem que foi interessante perceber, ao receber a carta, quantos dos seus objetivos futuros listados anteriormente já haviam sido alcançados. “Foi uma motivação importante. Pude celebrar conquistas que havia fixado para mim mesmo e já não lembrava mais. Agora, é hora de atualizar a lista com novas metas”, comenta um usuário.

Coaching para contribuir com o seu futuro

Ao navegar por esses comentários, imediatamente fizemos um paralelo com o universo do coaching, que também trabalha com autoconhecimento, definição de metas e aprendizados. Enquanto a carta via Future Me é um registro mais emocional e absolutamente confidencial do que se pretende para o futuro,  o coaching trabalha no presente e de forma prática. Neste caso, não estamos falando em confidências, desabafos e sonhos, mas na materialização de planos, na otimização dos resultados no curto ou médio prazo.

A presença do coach é parte essencial na obtenção dos resultados. É ele o responsável por propor um ritmo, orientar, aplicar as técnicas, testes e ferramentas adequadas em cada momento do coaching. Trazer os questionamentos e estímulos corretos. Deixa de ser uma troca do “eu” com “ele mesmo”.

As sessões de coaching costumam acontecer semanalmente. Todas são planejadas visando à produtividade, o avanço passo a passo rumo à meta principal, fixada inicialmente. O acompanhamento entre sessões também é parte importante do processo. Leituras complementares, produção de materiais específicos, avaliação de resultados, reflexões, autoconhecimento. Dessa forma, os resultados podem ser verificados ao longo da caminhada.

Você tem metas para uma data específica, daqui um ano, três anos ou cinco anos? Que tal colocar tudo isso no papel, escrever suas cartas e depois procurar o apoio de um coaching para caminhar rumo a seus objetivos – pessoais ou profissionais — mais urgentes?

Outra utilidade possível da ferramenta é colocar as metas após finalizar as sessões de coaching para garantir que tudo está caminhando conforme esperado. O que acha?

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale Conosco








    Marcos Lemos

    Marcos Lemos

    Com mestrado em engenharia elétrica pelo Mackenzie, Marcos Lemos atua na área há mais de 20 anos. Construiu sua trajetória na multinacional sueca Ericsson liderando equipes com perfis variados, o que fez despertar ainda mais seu interesse em estudar sobre comportamento, liderança e desempenho. Decidiu mergulhar no universo do coaching por acreditar na importância da área para o desenvolvimento humano. Além de sua atuação como coach pessoal e executivo desde 2004, é membro da Sociedade Brasileira de Coaching desde 2011. Suas certificações são reconhecidas pelo Behavioral Coaching Institute.

    Por considerar a área um importante instrumento de transformação social, tanto do ponto de vista pessoal quanto aplicada às necessidades do mundo corporativo, Lemos criou, ao lado dos outros dois sócios, a plataforma climby.

    Fechar
    Marcos Rodrigo

    Marcos Rodrigo

    Formado em engenharia pelo Centro Universitário FEI, sempre se manteve próximo à academia. Fez especialização em administração pela ESAN (Escola Superior de Administração e Negócios) e MBA em gestão empresarial na FIA - Fundação Instituto de Administração.

    As três características que sempre guiaram a carreira de Marcos foram o desejo de empreender – criou sua primeira startup em 1995, quando ainda estava na faculdade -, o interesse por tecnologias e a vontade de atuar com educação e desenvolvimento de pessoas.

    A combinação de fatores resulta na criação da plataforma climby, da qual é sócio e responsável pelo sucesso dos clientes, do portfólio e de parcerias de valor para o mercado de coaching.

    Fechar
    Domingos Alves

    Domingos Alves

    Engenheiro elétrico formado pelo Centro Universitário FEI e pós-graduado em marketing pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), Domingos Alves dedicou grande parte de sua carreira à área de tecnologia e telecomunicações, com passagem pela Ericsson e pela Proxim, Inc no Brasil, experiências que deram a ele a expertise necessária para, em 2003, fundar a Avvio Soluções. Com a venda de participação para o fundo Pátria Investimentos em 2014, ainda como sócio, seguiu como vice-presidente de engenharia e TI até 2017. Após esta etapa se dedicou a novos negócios. Atualmente, é sócio e membro do Conselho de Administração da Vogel Telecomunicações S/A, além de empreendedor em diversos segmentos, que tem em comum a solidez das empresas em que investe.

    A união da expertise em TI com seu perfil empreendedor levou Alves a integrar o time de sócios da plataforma climby desde a fase de estruturação do negócio, que ele classifica como uma excelente oportunidade de inovação.

    Fechar