Crença fortalecedora x crença sabotadora: a importância de identificar suas vozes internas



vozes internas

Vozes internas

Recentemente, um artigo dirigido ao mundo corporativo nos chamou a atenção porque falava sobre as vozes internas que nos impedem de delegar. Cada uma das seis vozes identificadas pelo autor era ilustrada por uma declaração característica daquele pensamento: “Isso eu não posso delegar porque seria abrir mão da minha responsabilidade”; “Quer bem feito, faça você mesmo”; “Se eu começar a delegar, o que vai sobrar pra eu fazer?” eram alguns dos exemplos.

Esses comentários, ainda que ficcionais, refletem pensamentos muito comuns a todos nós. O paradoxo que se apresenta é: se de um lado me sinto sobrecarregado e desejando distribuir melhor as tarefas (no trabalho, em casa, na atividade voluntária), por outro, me sinto inseguro em delegar e perder o controle ou em dar oportunidade para que outro se desenvolva. É o tipo de pensamento que pode atrapalhar a gestão de um líder. Delegar, sem dúvida, demanda segurança, coragem e compreensão de que todos têm seu espaço e seu caminho.

O controle das nossas vozes internas é, portanto, fundamental para a conquista da autoconfiança. E com a autoconfiança, sabemos todos, ampliamos nossas chances de sucesso – e aqui não estamos falando apenas do ponto de vista profissional – podem ser metas também metas pessoais, ligadas à saúde (parar de fumar ou perder peso) ou às finanças (economizar para uma viagem ou a compra de um apartamento), por exemplo.

O crítico interno e a crença fortalecedora

O crítico interno é aquele que sempre vem acompanhado de um não. O dono da voz mais pessimista que há, aquela que nos paralisa, que nos desencoraja, que não nos permite seguir em frente nem descobrir e colocar em prática nossas fortalezas. A hiena dos desenhos animados de antigamente traduz esse tipo de pensamento: “Ó vida, ó azar. Isso não vai dar certo”, dizia ela em toda e qualquer situação. A voz crítica é também conhecida como crença limitante ou voz sabotadora no universo do coaching.

Do outro lado está a voz/crença fortalecedora, aquela que te apresenta sua força, seu talento, suas possibilidades. Mas como e onde encontrá-la? Como estabelecer um diálogo entre elas, limitando a força de uma e dando mais espaço à outra? Nossa mente tem de ser nossa maior aliada na busca dos nossos objetivos.

Evidentemente (e infelizmente!), não temos o botão de ligar/desligar nossas vozes. Essa “escuta” atenta está diretamente ligada a um processo de autoconhecimento, que pode ser conduzido com o apoio de um coach, que vai permitir que cada um entenda seus processos internos, como identificar e gerenciar essas vozes.

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale Conosco








    Marcos Lemos

    Marcos Lemos

    Com mestrado em engenharia elétrica pelo Mackenzie, Marcos Lemos atua na área há mais de 20 anos. Construiu sua trajetória na multinacional sueca Ericsson liderando equipes com perfis variados, o que fez despertar ainda mais seu interesse em estudar sobre comportamento, liderança e desempenho. Decidiu mergulhar no universo do coaching por acreditar na importância da área para o desenvolvimento humano. Além de sua atuação como coach pessoal e executivo desde 2004, é membro da Sociedade Brasileira de Coaching desde 2011. Suas certificações são reconhecidas pelo Behavioral Coaching Institute.

    Por considerar a área um importante instrumento de transformação social, tanto do ponto de vista pessoal quanto aplicada às necessidades do mundo corporativo, Lemos criou, ao lado dos outros dois sócios, a plataforma climby.

    Fechar
    Marcos Rodrigo

    Marcos Rodrigo

    Formado em engenharia pelo Centro Universitário FEI, sempre se manteve próximo à academia. Fez especialização em administração pela ESAN (Escola Superior de Administração e Negócios) e MBA em gestão empresarial na FIA - Fundação Instituto de Administração.

    As três características que sempre guiaram a carreira de Marcos foram o desejo de empreender – criou sua primeira startup em 1995, quando ainda estava na faculdade -, o interesse por tecnologias e a vontade de atuar com educação e desenvolvimento de pessoas.

    A combinação de fatores resulta na criação da plataforma climby, da qual é sócio e responsável pelo sucesso dos clientes, do portfólio e de parcerias de valor para o mercado de coaching.

    Fechar
    Domingos Alves

    Domingos Alves

    Engenheiro elétrico formado pelo Centro Universitário FEI e pós-graduado em marketing pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), Domingos Alves dedicou grande parte de sua carreira à área de tecnologia e telecomunicações, com passagem pela Ericsson e pela Proxim, Inc no Brasil, experiências que deram a ele a expertise necessária para, em 2003, fundar a Avvio Soluções. Com a venda de participação para o fundo Pátria Investimentos em 2014, ainda como sócio, seguiu como vice-presidente de engenharia e TI até 2017. Após esta etapa se dedicou a novos negócios. Atualmente, é sócio e membro do Conselho de Administração da Vogel Telecomunicações S/A, além de empreendedor em diversos segmentos, que tem em comum a solidez das empresas em que investe.

    A união da expertise em TI com seu perfil empreendedor levou Alves a integrar o time de sócios da plataforma climby desde a fase de estruturação do negócio, que ele classifica como uma excelente oportunidade de inovação.

    Fechar