Coach com visão empreendedora precisa se posicionar como uma empresa



O aumento da oferta de serviços de coaching demanda cada vez mais profissionalização para se diferenciar no mercado e ampliar a atração de clientes. O coach com visão empreendedora precisa se posicionar como uma empresa e se estruturar para executar as atividades dos diversos departamentos desse negócio.

A grande maioria dos coaches trabalha sozinha, de forma autônoma. Por isso, é necessário lançar mão de ferramentas que facilitem a gestão e execução das diferentes atividades do dia a dia. Mantendo a analogia com uma empresa, apresentamos a seguir algumas dicas e orientações para quem quer estruturar as áreas de marketing, comercial, atendimento ao cliente e financeira.

1) Marketing

Assim como a marca de uma empresa contribui para atrair o cliente e gerar identificação, o mesmo vale para o coach. Antes de mais nada, é necessário construir seu posicionamento, apresentando de forma atrativa e clara o que é oferecido, quais são seus pontos fortes e diferenciais.

É importante colocar no papel essa forma de se apresentar e lapidar o conteúdo, que deve ser usado nos materiais de divulgação e em todos os canais de comunicação. Depois de criar o discurso, não deixe de testá-lo com várias pessoas para garantir sua efetividade.

LEIA NO BLOG: Pitch do coach: 5 dicas para vender seus serviços

Sua empresa pode ter um nome fantasia, mas é comum que coaches que trabalham sozinhos optem por utilizar o próprio nome, assim como acontece com profissionais liberais de diversas áreas. Afinal, o nome do profissional já é uma marca conhecida por muita gente.

Criar uma identidade visual contribui para fixar a marca na cabeça do cliente. Para quem tem recursos para investir, uma boa opção é buscar o apoio de designers especializados que buscam reforçar os atributos do profissional/empresa no layout. Mas se isso não for possível, há plataformas gratuitas na internet que possibilitam criar logomarcas e materiais de papelaria, como cartão de visitas e templates de documentos como propostas e relatórios.

2) Comercial

A principal dificuldade de quem está começando a atuar como coach é conquistar clientes-coachees. Um bom ponto de partida é reforçar o networking e ativar suas próprias redes de relacionamento, apresentando seu trabalho para amigos, ex-colegas e conhecidos.

Oferecer uma sessão experimental gratuita é uma estratégia bastante utilizada por coaches para converter leads em coachees. Essa sessão contribui para fazer com que o potencial cliente entenda, na prática, como funciona o processo.

Existem plataformas especializadas em listar serviços de coaching e fazer a conexão com coachees. Participar desses canais é fundamental para o coach se posicionar no mercado e marcar presença onde a concorrência também está.

As mídias sociais também são veículos relevantes para oferecer seus serviços. O LinkedIn, muito usado para interação profissional, é especialmente recomendado para esse fim. Além de posts e compartilhamento de notícias, permite publicar artigos aprofundando suas ideias sobre temas ligados ao coaching e interagir com pessoas relevantes da área.

Nas redes tradicionalmente usadas para postagens pessoais, como Instagram e Facebook, a recomendação é ter atenção à mistura de temas. Para quem faz um uso intensivo para postar fotos de família ou de eventos, pode valer a pena criar perfis específicos para uso profissional.

3) Atendimento ao cliente

O cuidado em todas as etapas do atendimento ao cliente é uma característica fundamental do coach-empreendedor. Os textos das propostas devem estar claros, bem escritos e, de preferência, em um layout próprio do profissional.
Seja o atendimento presencial ou online, é preciso dar atenção ao momento das sessões. O espaço usado para receber ou conversar com o coachee deve ser organizado e tranquilo, sem excessos e ruídos que tirem a concentração.

No caso das sessões virtuais, o uso de ferramentas digitais para videochamada que sejam amigáveis e seguras é um diferencial cada vez mais relevante. Para garantir rapidez no atendimento, o coach deve ter à mão conteúdos e materiais de apoio que possam ser compartilhados com o coachee. A centralização de várias atividades em uma mesma plataforma possibilita agilizar e otimizar investimento.

Na finalização do trabalho de coaching, o coachee deve receber um feedback completo e orientações para seguir a partir daí. Para quem atende funcionários e executivos de empresas, é necessário enviar também à companhia contratante um relatório sucinto de finalização do atendimento. Esse documento deve garantir a privacidade do que foi discutido com o coachee e ele deve ter conhecimento do que será entregue à companhia.

4) Financeiro

Os serviços de coaching são procurados por pessoas físicas e também fazem parte do portfólio oferecido por empresas a seus funcionários e executivos. Prestar serviço a empresas envolve uma série de exigências. Portanto, é necessário ter sua empresa formalizada, enviar proposta e discriminar o serviço que será prestado. E, ainda que o atendimento a pessoas físicas envolva menos demandas, também deve ser tratado de forma profissional.

A abertura de uma empresa envolve custos e requer uma série de etapas burocráticas. Para quem está começando, pode valer a pena formalizar-se como microempreendedor individual (MEI), que tem carga tributária reduzida. Para isso, o faturamento anual deve ser de até R$ 87 mil por ano, o titular não pode ter participação em outra empresa e é necessário que o serviço prestado se enquadre na lista de atividades previstas. Caso não atenda alguma das condições, há outras opções para formalização, como a Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli) ou ainda Empresário Individual (EI).

O coach-empreendedor não pode descuidar também da gestão financeira de seu negócio. Controle as receitas e os custos de seu negócio. Uma cilada comum quando se trabalha de forma autônoma e que precisa ser evitada é misturar o caixa pessoal com o da empresa.

A Climby oferece diversas ferramentas e recursos para profissionalizar e facilitar a atuação do coach no relacionamento com seus clientes. O serviço Engage, gratuito, é um ambiente de negócios e informação que une coaches a coachees.

A plataforma One Solution foi criada para organizar e profissionalizar o atendimento e os processos de gestão do coach. Entre suas funcionalidades, possibilita gerenciar todas as etapas do atendimento aos coachees e acompanhar fluxo de caixa. A gestão de marketing é outro diferencial, permitindo que cada coach crie um site próprio dentro da plataforma, ampliando sua visibilidade.

Para entender como a Climby pode ajudar seu trabalho no dia a dia, acesse climby.me e cadastre-se gratuitamente.

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale Conosco








    Marcos Lemos

    Marcos Lemos

    Com mestrado em engenharia elétrica pelo Mackenzie, Marcos Lemos atua na área há mais de 20 anos. Construiu sua trajetória na multinacional sueca Ericsson liderando equipes com perfis variados, o que fez despertar ainda mais seu interesse em estudar sobre comportamento, liderança e desempenho. Decidiu mergulhar no universo do coaching por acreditar na importância da área para o desenvolvimento humano. Além de sua atuação como coach pessoal e executivo desde 2004, é membro da Sociedade Brasileira de Coaching desde 2011. Suas certificações são reconhecidas pelo Behavioral Coaching Institute.

    Por considerar a área um importante instrumento de transformação social, tanto do ponto de vista pessoal quanto aplicada às necessidades do mundo corporativo, Lemos criou, ao lado dos outros dois sócios, a plataforma climby.

    Fechar
    Marcos Rodrigo

    Marcos Rodrigo

    Formado em engenharia pelo Centro Universitário FEI, sempre se manteve próximo à academia. Fez especialização em administração pela ESAN (Escola Superior de Administração e Negócios) e MBA em gestão empresarial na FIA - Fundação Instituto de Administração.

    As três características que sempre guiaram a carreira de Marcos foram o desejo de empreender – criou sua primeira startup em 1995, quando ainda estava na faculdade -, o interesse por tecnologias e a vontade de atuar com educação e desenvolvimento de pessoas.

    A combinação de fatores resulta na criação da plataforma climby, da qual é sócio e responsável pelo sucesso dos clientes, do portfólio e de parcerias de valor para o mercado de coaching.

    Fechar
    Domingos Alves

    Domingos Alves

    Engenheiro elétrico formado pelo Centro Universitário FEI e pós-graduado em marketing pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), Domingos Alves dedicou grande parte de sua carreira à área de tecnologia e telecomunicações, com passagem pela Ericsson e pela Proxim, Inc no Brasil, experiências que deram a ele a expertise necessária para, em 2003, fundar a Avvio Soluções. Com a venda de participação para o fundo Pátria Investimentos em 2014, ainda como sócio, seguiu como vice-presidente de engenharia e TI até 2017. Após esta etapa se dedicou a novos negócios. Atualmente, é sócio e membro do Conselho de Administração da Vogel Telecomunicações S/A, além de empreendedor em diversos segmentos, que tem em comum a solidez das empresas em que investe.

    A união da expertise em TI com seu perfil empreendedor levou Alves a integrar o time de sócios da plataforma climby desde a fase de estruturação do negócio, que ele classifica como uma excelente oportunidade de inovação.

    Fechar